O Rádio está de LUTO: Paulo Barboza não está mais entre nós

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin

Nos deixou hoje às 00h30 Paulo Barboza, “O maior amor de São Paulo”.

Com 73 anos Paulo Barboza teve 58 anos de sua vida dedicados ao Rádio, tornando-se, nesse período, um dos maiores comunicadores do Brasil.

Com seu carisma e sua facilidade em comunicar, Paulo Barboza conquistou ouvintes e seguidores por todas as empresas de comunicação que passou.

Hoje é um dia triste para todos nós e só nos resta relembrar sua maravilhosa tragetória no Rádio do Brasil.

Biografia e carreira

No dia 7 de setembro de 1959 conseguiu depois de muito custo falar ao microfone da Rádio Imperial de Petrópolis. Era a sua estréia, graças ao diretor Santelmo Jorge que não agüentava mais aquele garoto pedindo, pedindo uma chance. Deu certo. Uma semana depois ganhava um programa aos sábados, o Clube de Jovens e uma coluna no jornal Tribuna de Petrópolis. Virou o cronista social da juventude petropolitana, coisa que ainda não existia no início dos anos 60. Quando ouviu a gravação da sua voz pela primeira vez quis desistir. Não gostou. Achava estridente. Na época todos os locutores tinham vozes graves. Mais uma vez o diretor e já amigo Santelmo Jorge deu força para não parar, tendo também incentivo de um novo amigo, Flávio Cavalcanti. Transformou-se em repórter.Foi contratado pela Petrópolis Rádio Difusora. Conseguiu um programa diário, o jornalístico De Microfone em Punho. Lançou o noticiário da noite, Edição Extra. Partiu para os debates, para as entrevistas com A Notícia Faz O Show. Começou a comandar um programa de prêmios e brincadeiras, o Paulo Barboza Pergunta. Em 1963 ganha o prêmio de Melhor Rádio Repórter do Estado do Rio do Sindicato dos Jornalistas, com matéria feita numa Sexta Feira Treze, exatamente a meia-noite, ao vivo do Cemitério Municipal de Petrópolis, entrevistando os coveiros e ouvindo suas histórias fantásticas.

Em 1970 estréia no Rio, na Super Rádio Tupi, das 9 ao meio-dia, lançando o Programa Paulo Barboza. Estréia na Rede Tupi de Televisão comandando É Lá Que a Tupi Vai com produção de Herval Rosano e direção de José Messias.

Em 1980, Paulo apresenta o programa Sessão Premiada no SBT. Em 1983, Paulo vai para a TV Gazeta e passa a apresentar o semanalmente, no formato de show de calouros, o Programa Paulo Barboza.

Em 1984, de volta ao SBT, Paulo passa a ser o primeiro apresentador do Game Show TV Powww! no Brasil.

Em 1988, Paulo troca de casa e passa a apresentar o Programa Paulo Barboza na TV Record. De 2007 à 2013, Paulo também foi jurado do Troféu Imprensa, no SBT.

Paulo foi um dos grandes nomes no rádio brasileiro e, com 58 anos de carreira, ele nunca abandonou o rádio, tendo passado pelas mais importantes emissoras de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Vida pessoal

Paulo foi casado por 48 anos com Eliane Barboza, que faleceu em 13 de fevereiro de 2015, vítima de um câncer. Os dois tiveram um filho, Paulo Eugênio, e uma filha, Alexandra Hermínia. Paulo era avô de três netos: Paulo Felipe, Rodrigo e Maria Gabriella.

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedin